Ser um campeão: a beleza da fera

Ser um campeão: a beleza da fera

O que impulsiona essa besta tirânica? Esta palavra de oito letras é digna de seu rótulo, Campeão? Existem multiplicidades de metáforas cativantes atribuídas a esta palavra simples, principalmente por causa do desejo do mundo de ser reconhecido como sendo do calibre do CAMPEONATO; alguns, no entanto; pode vê-lo como um elemento duplicador e disruptivo de nossa sociedade. Essa palavra causou imensuráveis ​​momentos, horas, dias, anos, décadas e séculos de ansiedades insuportáveis ​​para milhões de habitantes da terra. A incapacidade de se tornar um campeão; indiscutivelmente sustenta a dúbia distinção de quebrar mais corações e causar mais desapontamentos do que cair e sair do amor que alguma vez causou ou jamais terá causado.

O narcisismo se senta à mesa querendo se tornar um CAMPEÃO? É errado ter um desejo ardente de se tornar um campeão? A exibição da proeza atlética diminui suas conquistas de se tornar um CAMPEÃO ?!

Sabe-se que a maioria dos CAMPEÕES se movimenta com a elegância e graça de um cisne, muitos são elogiados por possuírem a rapidez de uma chita, alguns dizem ter a habilidade de pular como uma gazela, enquanto outros dizem ter músculos de aço e a capacidade de se elevar a um nível de competitividade irresponsável, ao mesmo tempo em que mantém um foco semelhante ao de um laser que é incomparável.

Milhões sonham em assegurar essas habilidades inatas dadas por Deus, de modo que elas também possam desencadear essa “besta” e ter suas chances de serem “REI” da MONTE. Ninguém nunca realmente identificou HILL, apenas que um deve ter um desejo ardente e nunca dizer nunca uma atitude para ser o “REI” desta colina sem nome!

O que é esse sonho indescritível; Para ser um CAMPEÃO, o que é toda a comoção que envolve essa sensação invisível e psicológica que levou alguns indivíduos a encerrar suas vidas, destruir relacionamentos, abandonar famílias, empresas falidas, destruir relacionamentos cordiais e profanar comunidades?

Eu sou o CAMPEÃO, eu e eu sozinhos, agora posso impressionar o mundo inteiro dirigindo pela rua principal do meu Lexus, estacionando na avenida “look-at-me”, exibindo meus troféus na vitrine de uma loja de Michael Kors Eu continuo minha jornada, com jazz suave tocando enquanto eu meticulosamente percorro a rota 66, mostrando minhas medalhas para viajantes do mundo enquanto eu viajo pelo deserto acampando nas montanhas de Sedona, minha cabeça adornada com minha coroa saturada de turquesa, diamantes e Pérolas japonesas Akoya cultivadas com colar e brincos combinando!

É a beleza de um CAMPEÃO descrita em meus adornos, eu me permito ser descrito por essa coisa chamada “Rei” da Colina? Enquanto o tempo passa por mim e meu traje, uma vez na moda, não é mais o tópico da conversa, minha beleza desaparece quando as últimas tendências começam?

Onde está a besta, aquela fera que está agora crivada de artrite, aquela besta que está meramente tolerando a dolorosa cicatriz da vida, como os aniversários continuaram a chover como um tsunami?

A beleza desvaloriza a fera? A besta devora a beleza? Talvez eles apertem as mãos do CAMPEÃO enquanto eles relembram os dias de glória, eles embelezam os feitos da fera e mostram fotos centenárias da beleza … Talvez em retrospecto, eles colocaram suas medalhas, placas e troféus manchados em exibição apenas para esqueça o que eles deveriam representar ao notar a poeira sufocante que corroeu as inscrições que antes eram cuidadosamente e animadamente colocadas pelos artesãos especialistas que se deliciavam com a preparação.

O que a vida me custou para ser rotulado de CAMPEÃO? Estou confortável, oscilando no topo da colina, afinal sou conhecido como o CAMPEÃO, eu comando respeito, eu comando aspiração, eu comando privilégio, eu comando atenção, eu sou o sino da bola, a multidão está aqui para me ver, todo mundo é um inconveniente menor ou assim parece, o “REI” da MONTE é o ser tudo para acabar com tudo ou é tudo um sonho, estou dormindo, o que acontece se eu acordar e descobrir que é tudo verdade?

Fade to black…, nada mais importa, eu tenho que ser o Rei da Colina, e eu tenho que ser o CAMPEÃO! Vou dedicar e comprometer todo o meu ser para ficar no ápice deste tesouro invisível, eu e eu sozinho, orgulhosamente, aquecendo os aplausos da multidão, apertando as mãos dos ricos e famosos, jantando nos melhores “bistrôs” em Baltimore e soluçando na minha cerveja.

Olhe para mim, um desastre miserável, não importa a minha aparência interior, pois sou o CAMPEÃO!

Eu personifico a “BELEZA” da “BESTA!” Meu legado vive enquanto eu desvanece no fundo, mas você vê, eu sou apenas uma memória distante!

© Melvin “Casey” Lars

enviar para Good Men Project

Receba as melhores histórias do The Good Men Project entregues diretamente na sua caixa de entrada, aqui.

Inscreva-se no nosso e-mail de prompts de escrita para receber inspiração em sua caixa de entrada duas vezes por semana.

Crédito da foto: Pixabay

O post para ser um campeão: a beleza da besta apareceu em primeiro lugar no projeto bons homens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *